Lições do COVID 2: Quando o pânico toma conta

“Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus.” Filipenses 4:6-7 ARA

Foi segunda de manhã quando recebi um telefonema do hospital que meu marido estava internado, era a médica. A princípio achei que seria apenas para passar informações que eu tinha solicitado, mas não era só isso uma vez que pacientes que estão no quarto recebem a visita dos médicos e os próprios pacientes enviam notícias para família, mas aquela manhã foi diferente.

A ligação da médica tinha sido porque o quadro tinha piorado, meu marido não tinha nem condições de me enviar notícias e por isso a ligação. O ponto do pânico foi quando ela falou que eles tentariam um procedimento para ver se melhorava a oxigenação, mas caso isso não acontecesse nas próximas horas o passo seguinte seria levá-lo para UTI. Finalizei a ligação, baixei minha cabeça, minha respiração começou a aumentar a frequência, eu estava tendo um princípio de crise de ansiedade, comecei a respirar fundo, estava chorando litros. Foi então que meu filho entrou e falou: “mãe, vamos dar uma caminhada? Você gosta de fazer exercício pra relaxar”, sem pensar duas vezes, disse: “vamos!”. Era como se eu estivesse tentando fugir daquele lugar de dor, pânico, preocupação. Fui chorando, mas fui! Ignorei qualquer ligação, mensagem, precisava encontrar meu ponto de equilíbrio.

Paramos o carro e começamos nossa caminhada, propus orarmos e então começamos. Oramos e oramos, mais a frente falei: “vamos declarar alguns salmos e palavras” e assim fizemos, salmos 103, salmos 91, salmos 121, o Pedro mencionou Gênesis e o poder de Deus para criar todas as coisas. Oramos novamente. No meio do caminho eu já não chorava mais, continuamos trocando palavras e orações conforme surgiam em nosso coração.

Foi então que a fé foi aumentando, a esperança se renovando, a mente voltando ao seu equilíbrio, o coração já não palpitava. Quando terminamos os 4Km já estávamos com a paz que excede todo entendimento. Comecei chorando, terminei em paz e a partir daquele momento não teve mais choro ou desespero, não tive mais medo, ao contrário a esperança cada vez mais aumentava.

Incrivelmente não recebi mais ligações do hospital naquele dia ou em outro, o que significou que o Anselmo não foi pra UTI, mesmo que lentamente começou a evoluir de forma positiva.

Como Deus é bom, não porque tudo se resolveu, até porque nesse momento que escrevo o Anselmo continua internado precisando melhorar os índices de oxigênio, mas porque Ele cuida de nós. Porque quando exercitamos o que ele nos propõe o resultado é exatamente o que Deus falou, é incrível porque aumenta ainda mais minha confiança. Deus não muda, sua palavra é verdadeira. Ele nos fez fortes e corajosos, precisamos apenas colocar isso em prática, exercer nossa fé e confiança.

Use as ferramentas que a Bíblia ensina, nesse caso foi colocar toda a minha aflição aos pés do Senhor e o que aconteceu foi exatamente o que diz que aconteceria, eu seria inundada pela paz que excede todo entendimento.

Pratique! Cresça! Use as tribulações como um meio de fortalecer seu caráter.

“lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós.” 1Pedro 5:7 ARA

Desgraçada ou Agraciada?

Pesado o título né? Mas quantas vezes nos sentimos uns desgraçados? Ou seja, sem graça alguma.

Estou vivendo um ano extremamente turbulento, muitas vezes me pego respondendo que está tudo bem para amigos realmente interessados, amigos mais chegados que irmão, quando na verdade a vida está um caos, apenas porque não quero que olhem pra mim e digam no seu íntimo: “essa é uma desgraçada, só acontece calamidade na vida”.

Mas hoje pela manhã em meio a mais um caos que nos ronda pensei: “desgraçada ou agraciada?”, lembrei da passagem de Tiago que diz: “Meus irmãos, a vida de vocês está cheia de dificuldades e de provações? Então, considerem isto motivo de grande alegria, porque, quando a sua fé é provada, a perseverança de vocês tem uma oportunidade de crescer. Portanto, deixem a perseverança crescer, agindo plenamente em vocês. Porque, quando a perseverança de vocês estiver afinal plenamente crescida, vocês estarão preparados para qualquer coisa, e serão fortes de caráter, íntegros, sem que lhes falte coisa alguma.” Tiago 1:2-4 NBV-P

Cheguei a conclusão de que o fato de passar por várias tribulações na verdade é graça e não desgraça, é oportunidade. No meio do caos temos a oportunidade de exercer a fé e a esperança que nos leva a perseverança. Quando nos colocamos debaixo da forte mão de Deus, com confiança, o resultado é um caráter forte, integridade, sabedoria, crescimento espiritual.

Temos medo, um gelo na barriga? Sim!!! Afinal estamos sendo espremidos, forjados, lapidados. Um filho pequeno se arrisca quando o pai fala “pode vir”, mas mesmo com medo se joga. É isso, vai mesmo com medo porque sabemos quem está nos segurando com a mão.

Só tem oportunidade de exercer fé quem passa por situações que exigem isso, então sinta-se um agraciado. Além disso, só aproveita a oportunidade e exerce fé na tribulação quem tem a convicção de que Deus é soberano sobre todas as coisas, quem o conhece, quem declara que em Jesus somos mais que vencedores porque ele mesmo venceu a morte. Não importa o desfecho de cada história, já somos vencedores em Cristo.

Finalizo dizendo que tem muitas coisas que nos fogem do controle e nessa hora é que podemos ver o agir de Deus em nós e o que podemos fazer? Paulo nos diz:

“Não se aflijam com nada; em vez disso, orem a respeito de tudo; contem a Deus as necessidades de vocês, e não se esqueçam de agradecer-lhe. Se fizerem isto, vocês experimentarão que a paz de Deus, que excede todo o entendimento, conservará a mente e o coração de vocês em Cristo Jesus.”

Filipenses 4:6-7 NBV-P

É um desafio porque temos a tendência de querer controlar tudo, mas para que tenhamos um equilíbrio emocional precisamos colocar TUDO diante de Deus, todas as aflições e em troca ele nos dará uma paz que excede nosso entendimento e uma mente e coração saudáveis.

Viva o processo segurando na poderosa mão de Deus. Aproveite a oportunidade e cresça!

Não tem atalho

“Eu quero que vocês me amem e não que me ofereçam sacrifícios; em vez de me trazer ofertas queimadas, eu prefiro que o meu povo me obedeça.” Oseias 6:6 NTLH

Já percebeu que temos a tendência de fazer o que é mais fácil? Usar atalhos, propor caminhos mais curtos. Não poucas vezes nos esquecemos do processo ou reclamamos ao ter que passar por ele. Estamos sempre em busca do que é mais fácil, sabemos o que devemos fazer e mesmo assim buscamos fórmulas que facilitem e não exija tanto esforço e tempo. Na vida com Deus não é diferente.

O caminho para Deus é descrito claramente desde a antiguidade, sendo dividido apenas entre antes e depois de Cristo.

Na primeira fase, como diz o texto de Oseias, o povo demonstrava seu amor por Deus através da obediência à lei descrita desde a época de Moisés. Cumprir o que Deus planejou demonstrava o amor do povo por Deus e isso os aproximava, enquanto que a cada desobediência Deus se afastava e o povo se lascava!

Na segunda fase, essa que vivemos agora, nos aproximamos de Deus tendo fé que Jesus, seu filho foi enviado, morreu e ressuscitou para fazer um caminho entre nós e Deus, isso nos torna povo, filhos de Deus e como povo de Deus agradamos à Ele também obedecendo seus mandamentos, a diferença é que só conseguimos fazer isso se estamos unidos com Cristo, assim como diz essa passagem da primeira carta de João:

“Porém, se obedecemos aos ensinamentos de Deus, sabemos que amamos a Deus de todo o nosso coração. É assim que podemos ter certeza de que estamos vivendo unidos com Deus: Quem diz que vive unido com Deus deve viver como Jesus Cristo viveu.” 1João 2:5-6 NTLH

Assim como no velho testamento, Deus não espera de nós sacrifícios, que significa esforço. Então, hoje o sacrifício não é matar um animal, mas tentar nos esforçar com boas ações para ver se isso nos aproxima de Deus. O esforço um dia cansa e também não dá certo porque o parâmetro de bom ou ruim é nosso e isso não faz um caminho até Deus, apenas nos coloca bem conosco mesmo. Pensamos que boas ações nos torna aceitáveis, mas o que nos torna aceitáveis é viver unidos com Cristo e assim conhecer a Deus e fazer a sua vontade. Viver como Jesus viveu!

Não use atalhos, fortaleça sua fé, invista no seu relacionamento com Deus através de Jesus, cultivando o Espírito Santo que vive naqueles que receberam Jesus como único salvador. O tempo foi Deus que nos deu e se dentro do que ele mesmo nos deu não reservamos uma porção pra ele, então não podemos dizer que o amamos. Estar unido com Cristo, conhecer-lo através da sua Palavra (Bíblia), ter uma perspectiva e consequentemente comportamentos condizentes com os valores do Reino é que nos fará mais perto de Deus. Não tem atalho!

O problema de estar longe

Vou usar vários versículos do capítulo 15 do livro de 1 Samuel para falar sobre a problemática de estarmos longe de Deus. Como nos afastamos ou nos mantemos longe? Quando voluntariamente damos mais valor aos nossos afazeres do que a presença de Deus, quando achamos que sabemos a vontade de Deus apenas ouvindo pessoas falando a respeito, quando deliberadamente abrimos mão do secreto, quando escolhemos buscar solução em tudo, menos na Sua Palavra, quando reduzimos o sacrifício de Jesus, quando damos lugar aos desejos de nossa carne (leia GÁLATAS 5) e poderia fazer uma lista imensa de como aos poucos vamos ficando cada vez mais longe de Deus e do seu Reino, mas vou parar por aqui.

O problema de nos afastar de Deus é que começamos a relativizar aquilo que Ele fala, colocamos adendos achando que Deus se agradará mais do nosso modo de fazer e pensar do que cumprirmos fielmente o que nos manda, criamos conceitos paralelos aos descritos em sua Palavra.

Deus mandou que Saul matasse todo o povo, mas ele resolveu poupar o rei e ficar com o que o rei tinha de melhor. Mesmo sabendo que tinha cumprido parte da ordem, ele se justifica dizendo que o que não matou seria para sacrifício a Deus. Nesse mesmo capítulo diz que Saul tinha ido a algum monte para fazer um monumento para si próprio.

Nos afastar de Deus significa fazer de nós mesmos deuses, começamos a valorizar demais nossos pensamentos e ações e assim vamos nos afastando cada vez mais porque quando o orgulho e a soberba se instala é como se estivéssemos com uma venda nos olhos. Não é a toa que a Palavra fala que Deus resiste ao soberbo, mas dá graça ao humilde.

O soberbo sempre tem uma resposta e um porque, tem dificuldade em se submeter, não entende o senhorio de Jesus. O humilde entende quem é quem e se submete em obediência entendendo que os pensamentos de Deus são muito mais altos do que os nossos pensamentos e que seus caminhos muito melhores do que os nossos.

Temos que cuidar do nosso coração, alimentar nosso espírito para que estejamos sempre debaixo da poderosa mão de Deus e não de nossos próprios desejos, porque esse nos destrói enquanto os desejos do Pai nos trazem vida.

“Seguir o Espírito Santo conduz à vida e à paz, mas seguir a velha natureza leva à morte,” Romanos 8:6 NBV-P

“Arrependo-me de ter colocado Saul como rei, pois novamente ele me abandonou e não seguiu as minhas palavras”. Samuel ficou muito triste e clamou em oração ao Senhor toda a noite. Na manhã seguinte, ele levantou-se bem cedinho e saiu para encontrar Saul. Alguém disse a Samuel: “Saul foi para o monte Carmelo levantar um monumento para si próprio, e dali seguiu viagem para Gilgal”. Quando Samuel finalmente o encontrou, Saul o cumprimentou: “Que o Senhor o abençoe, Samuel! Cumpri a ordem do Senhor!” “Então o que significa esse balido de ovelhas e o mugido de bois que estou ouvindo?”, perguntou Samuel. “Os soldados não mataram o melhor das ovelhas e dos bois”, confessou Saul. “Esses animais vão ser sacrificados ao Senhor, o seu Deus; quanto ao restante, destruímos tudo”.1 Samuel 15:11-15 NBV-P

“E Samuel lhe disse: “Embora você fosse pequeno aos seus próprios olhos, você não foi escolhido cabeça das tribos de Israel? O Senhor não o ungiu rei sobre o povo de Israel? Ele lhe mandou um recado e disse: ‘Vá e destrua por completo aquele povo pecador, os amalequitas; lute contra eles até que morram todos’. Por que, pois, você não obedeceu ao Senhor? Por que se apressou em tomar o que os amalequitas possuíam, e fez exatamente o que o Senhor reprova?”” 1 Samuel 15:17-19 NBV-P

““Pelo contrário; eu obedeci ao Senhor ”, insistiu Saul. “Fiz o que ele me disse para fazer; trouxe o rei Agague, e matei todos os outros. E somente quando meus soldados exigiram é que lhes dei permissão para conservar o melhor das ovelhas e bois e o que os amalequitas possuíam, a fim de sacrificá-los ao Senhor ”. Samuel respondeu: “Acaso o Senhor tem tanto prazer em suas ofertas queimadas e sacrifícios, como tem em sua obediência? Obedecer é muito melhor do que sacrificar. Deus está muito mais interessado em que você atenda ao que ele ordena do que nas ofertas da gordura de carneiros.” 1 Samuel 15:20-22 NBV-P

“Porque a rebeldia é tão grave quanto o pecado de feitiçaria, e a teimosia é tão séria quanto adorar imagens. E agora, já que você rejeitou a palavra do Senhor, ele rejeitou você, para que não seja rei”.” 1 Samuel 15:23 NBV-P

Lucas 3

Enquanto estudava o evangelho de Lucas, o capítulo 3 me trouxe alguns pensamentos. O texto referido fala sobre o batismo de João e em seguida de Jesus.

Percebi que desde o princípio, os problemas são os mesmos e quero citar 3 ditos explicitamente no texto. João fala sobre um batismo de arrependimento (metanóia, mudança de mente e direção), mas aí ele identificou que as pessoas vinham, porém não mudavam de vida, depois de falar que não adianta nada “molhar a pele com a água” se as atitudes não mudam, a multidão perguntou “o que devemos fazer então?”. Como disse, João cita 3 posturas que devem ser evitadas:
1. Individualismo: “Quem tiver duas mudas de roupas dê uma para alguém, ele disse, e façam o mesmo com a comida”. Problema atual: individualismo, egoísmo, sucesso próprio. Proposto pelo reino: generosidade
2. Corrupção: Os cobradores de impostos também perguntaram o que deveriam fazer e João disse “Nada de extorsão. Cobrem apenas o que exige a lei”. Problema atual: desonestidade, corrupção, vantagem. Proposto pelo Reino: Honestidade, verdade
3. Violência: Os soldados também perguntaram e ele respondeu “Nada de violência nem chantagens, e estejam satisfeitos com o salário de vocês”. Problema atual: violência, desconfiança, insatisfação. Proposto pelo Reino: alegria, satisfação, contentamento.

Embora o batismo de João tivesse a ver com uma mudança de fora para dentro, o texto nos diz: “O protagonista desse drama, perante o qual sou apenas um figurante, acenderá a vida do Reino em vocês, um fogo interior, o Espírito Santo dentro de vocês, operando mudança de dentro para fora”.

A nova aliança nos dá o Espírito e se não temos nos arrependido (mudança de mente e ação), devemos nos questionar se realmente encontramos Jesus e seu Reino, pois ele necessariamente gera mudança na nossa vida, caráter, direção.

Espero que colabore com seu crescimento espiritual. O texto está em Lucas 3, na versão A Mensagem.