Cuidado com o que fala

“Não digam palavras que fazem mal aos outros, mas usem apenas palavras boas, que ajudam os outros a crescer na fé e a conseguir o que necessitam, para que as coisas que vocês dizem façam bem aos que ouvem.” Efésios 4:29 NTLH

Teve uma época da vida que eu era muito irritadiça, quando eu digo muito, é muito mesmo. Me irritava com pessoas, com redes sociais, com qualquer coisa que me deixava indignada. Aliás é isso, tinha um nível de indignação surreal dentro de mim. Até que um dia vi uma postagem de uma amiga, ela nem sabe, que mexeu muito comigo e me senti envergonhada com esse jeito e necessidade de expressar sempre meus pensamentos. A partir daquele dia tomei algumas medidas e decidi que não seria mais assim.

Estou contando isso porque apesar dessa minha indignação constante e necessidade de ter sempre algo para falar ou uma resposta na ponta da língua, de forma consciente pensava: “cuidado com as palavras, não use nenhuma que depois se arrependa”. Isso acontecia principalmente dentro de casa, afinal sou de uma geração que não sai falando o que quer para as pessoas sem pensar antes, o “falo a verdade mesmo” ia até um certo limite.

Quantas vezes tinha atrito em casa e as palavras que diminuíam viam na ponta da língua e eu as engolia, quantas vezes evitei em falar com amigos sobre meu marido para que esses não ficassem com raiva junto comigo, pensava que no futuro isso poderia ser ruim. Quantas vezes pensei muito antes de falar qualquer coisa para meu filho para de forma nenhuma diminuí-lo. Esses dias mesmo estava tomando café e no caixa da cafeteria tinha uma mãe com um filho adolescente, o filho descuidado pegou um salgado na mão e logo derrubou no chão, a mãe indignada logo falou: “você não sabe fazer nada direito”. Eu fiquei tão chocada e triste, como uma mãe fala isso para um filho?

Temos que diariamente tomar cuidado com nossas palavras porque estas podem construir ou destruir, podem animar ou desanimar, levar ou tirar esperança. A Bíblia nos adverte sobre isso em vários textos. Na carta de Tiago a língua é comparada com uma chama de fogo que pode incendiar uma floresta, fala também que bênção e maldição podem vir do mesmo lugar (Tiago 3: 2-12).

No versículo de Efésios diz para usarmos palavras boas que ajudam os outros a crescer, que façam bem. Poderia citar muitos outros versículos bíblicos a respeito desse assunto, mas vou ficar com esses.

Cuide daquilo que sai da sua boca e construa pontes ao invés de muros, levante pessoas ao invés de derrubá-las, gere vida e não morte.

Fale a verdade em amor. Termino com uma dica em comunicação, seguindo o princípio do versículo que usei no começo a ideia é não usar palavras que fazem mal ao outro, que tragam ideia de desprezo ou que rebaixem. Para não ter erro, ao invés de falar “você é isso” ou “você é aquilo”, fale dos seus sentimentos, por exemplo, “quando você faz ou fala ………., me sinto……”. Pratique, tenho certeza que começara a construir pontes e gerar vida ao seu redor.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s