Você é portador de vida ou de morte?

João 8:1-11

Nesse texto temos um exemplo claro sobre amor x julgamento.

Uma mulher é pega em adultério e naquela época a pena para isso era o apedrejamento.

Jesus estava naquele momento ensinando no pátio do templo, ou seja, ele era um mestre. Ele foi ensinado na lei judaica e era assim como outros, um mestre.

Por alguma razão os também mestres da lei e fariseus que pegaram aquela mulher em flagrante não fizeram o julgamento, eles foram e colocaram a mulher no meio de todos e disseram:

“— Mestre, esta mulher foi apanhada no ato de adultério. De acordo com a Lei que Moisés nos deu, as mulheres adúlteras devem ser mortas a pedradas. Mas o senhor, o que é que diz sobre isso?” João 8:4-5 NTLH

Ou seja, eles perguntaram pra Jesus o que ele achava que deveriam fazer com ela, mesmo citando a lei que era clara quanto a condenação. Com certeza, aquela foi uma forma de tentar pegar Jesus ensinando contra as leis de Moisés, mas o que aconteceu a seguir foi um ensino sobre amor e julgamento.

A mulher já tinha sido julgada e condenada pelos religiosos e com certeza pagaria a condenação que lhe cabia caso aquela pergunta “o que o senhor diz sobre isso” não tivesse sido feita.

Jesus não disse que eles não deveriam executar a condenação descrita pela lei, mas afirmou algo muito interessante e constrangedor para todos que o ouvia: “Quem de vocês estiver sem pecado, que seja o primeiro a atirar uma pedra nesta mulher!”, o texto afirma que todos largaram as pedras e foram embora.

Jesus então pergunta a mulher: “Então Jesus endireitou o corpo e disse: — Mulher, onde estão eles? Não ficou ninguém para condenar você? — Ninguém, senhor! — respondeu ela. Jesus disse: — Pois eu também não condeno você. Vá e não peque mais!]” João 8:10-11 NTLH

Essa história tem um ensino muito interessante sobre julgamento.

Muitas vezes como religiosos somos rápidos em recitar a Bíblia para julgar e condenar as pessoas, não as apedrejamos fisicamente, mas as desprezamos e as condenamos a “morte” emocional, espiritual. Somos rápidos em dizer o que está errado na vida do outro enquanto nas nossas próprias vidas vivemos uma vida de pecado porque se nos colocamos na posição de julgadores é porque nos sentimos superiores e isso condena pessoas, as leva para a morte do espírito e da alma e nos coloca como juizes. Quantas vezes você condenou uma pessoa a morte com seu julgamento? Quantas vezes desprezou pessoas?

Ao mesmo tempo Jesus não foi conivente com aquela mulher, afinal adultério realmente é algo que está na lista das coisas que Deus não aprova. Jesus diz a ela: “Eu Também não a condeno. Vá e não peques mais”.

Em Cristo somos libertos do pecado e da morte que nos separava de Deus e somos chamados a estender essa liberdade para pessoas que vivem também em direção a morte eterna. Não aproximamos pessoas do Reino de Deus com julgamentos de valores, comportamentos morais, aproximamos pessoas acolhendo-as e dando amor, isso não significa ser conivente, o amor constrange. Um encontro com Jesus e essa consciência do pecado vem e ele mesmo vai falar “vai e não peques mais”. O poder de Jesus e da cruz é real e é ele quem nos convence do pecado, da justiça e do juízo, não você e nem eu!

Quando julgamos trazemos julgamentos a nós mesmo “Quem de vocês estiver sem pecado, que seja o primeiro a atirar uma pedra nesta mulher!” João 8:7b NTLH

Termino dizendo que: “De novo Jesus começou a falar com eles e disse: — Eu sou a luz do mundo; quem me segue nunca andará na escuridão, mas terá a luz da vida.” João 8:12 NTLH

Seja aquele que leva essa luz para as pessoas e assim elas terão a chance de sair da escuridão e ter a luz da vida.

Seu papel não é de juiz! Ame, demonstre esse amor servindo as pessoas. Não é sobre sentimento, é sobre ação! Não é sobre concordar, é sobre estender o Reino em amor, é sobre não julgar, afinal diante da cruz somos todos iguais. Todos nós precisamos de Jesus!!!

Ao invés de destilar veneno, sirva e ore para que Jesus o autor da vida encontre quem você ama e assim chegue a salvação que nada mais é do que encontrar Jesus e virar as costas para o pecado e viver uma vida que agrade a Deus.

OUVI O BARULHO DA FECHADURA. Quem pede, recebe. Quem procura, acha.

Não sou uma escritora nata, aliás na escola a matéria que menos gostava era redação, cheguei ao cúmulo de pedir para uma amiga escrever uma redação num dia de prova (não façam isso porque é errado), mas uma coisa é escrever uma redação sobre um assunto aleatório, normalmente sobre temas que não me interessam. Outra coisa bem diferente é escrever sobre o que o meu coração queima e nesse caso, tirando as pontuações que as vezes erro, sempre tenho bons feedbacks sobre a minha escrita. Enfim, tudo isso pra falar que escrevo de um lugar de vivência, inspiração e revelação.

E nesse contexto quero contar o quanto estou extasiada com alguns encontros que tive com Jesus e como esse texto de Lucas 11:5-13 fez sentido pra mim (vá ao final do texto e leia a referência ou abra sua Bíblia antes de continuar a leitura). Quando resolvi escrever, a primeira frase que veio na cabeça foi: “o que pede, recebe. O que procura acha” e depois uma história sobre uma pessoa insistente. Quando fui pesquisar na Bíblia, pra minha surpresa esses textos estavam juntos.

Todos nós somos travados de alguma maneira, todos nós temos bloqueios que por vezes nos paralisam e nos deixam andando em círculos e comigo não é diferente. Tenho vários bloqueios e alguns deles me deixam estagnada. Por muito tempo isso não me incomodou, mas de alguns poucos anos pra cá, convivendo com pessoas desbloqueadas nas minhas áreas bloqueadas, comecei a me questionar porque era daquela maneira, porque meu comportamento rodava, rodava e era sempre o mesmo. Comecei então a orar sobre isso, comecei insistentemente a pedir que o Pai me revelasse o que estava errado. Passei um tempão insistindo, recebia palavras, pessoas oravam comigo, mas eu de fato não conseguia ver onde Jesus estava em tudo aquilo. Passou o tempo, continuei pedindo, insistindo, insistindo, chorando, pedindo. E minha oração era justamente pra que eu encontrasse Jesus em áreas específicas. Fui conhecendo pessoas, lugares que sem saber estavam me ajudando nesse processo de busca por um encontro com Jesus. Mais orações, mais palavras, muitos questionamentos do porque Deus não atendia e eu sempre no mesmo lugar (pelo menos era o que pensava). O que não sabia é que estava vivendo esse texto.

Um dia, num sábado qualquer, debaixo do chuveiro, como um flash voltei no tempo e tive uma lembrança clara, de um momento específico na minha vida. Pensei: “opa, por que o Senhor me trouxe essa lembrança?”. No meu íntimo sabia que Deus tinha começado a mostrar que estava abrindo a porta, escutei naquele momento o “barulho da fechadura” (referência ao texto bíblico). Naquela semana eu estava me preparando para um retiro que tinha o nome de PENIEL (pra quem não sabe, esse foi o nome dado por Jacó ao lugar que ele encontrou Deus). Falei quase que em voz alta “será que as minhas respostas serão dadas nesse lugar?”. Estava com muita expectativa por esse momento.

Resumindo a história porque é muito grande e intensa. Esperei uma semana, comecei a orar e crer que minha resposta estava no “Peniel”. Fui vivendo cada minuto naquele lugar com encontros muito profundos com Jesus, mas dentro de mim falava “obrigada Jesus por me encontrar muitas vezes nesse lugar, mas só tem uma coisa que ainda não aconteceu, o desfecho daquela história do chuveiro, será que não ouvi a maçaneta, será que me enganei? Não tem problema, já estou muito grata por tudo o que vi e vivi”. O encontro estava terminando, era a última sessão, o clima já era de encerramento, foi quando numa história comum (nem tanto), contada pelo preletor, que uma luz começou a acender em mim e pensei, coisas que acontecem em frações de segundos, ele está falando sobre Deus Pai (meus questionamentos tinham a ver com Deus e sua figura paterna), olhei na apostila e vi que realmente era aquilo (sei lá porque até aquele momento não tinha percebido). O assunto foi afunilando e meu coração começou a queimar 🔥 uma frase, nos últimos segundos, um olhar, que parecia ser direcionado a mim, tive a resposta para meus questionamentos. Deus me respondeu com a presença do Espírito Santo que me revelou por completo todos os meus questionamentos do chuveiro. Uma frase! Fiquei tão grata e ao mesmo tempo tão chocada que passei a semana “ruminando” aquilo. Saí extasiada porque a porta foi aberta não apenas uma vez, mas várias vezes. Sim, eu tinha escutado o “barulho da maçaneta” naquele chuveiro.

Pra finalizar quero dizer que apenas em encontros com Jesus, através de uma revelação do Espírito Santo conseguimos ver como que sem venda nos olhos ou como quem usa óculos no grau certo. Jesus nos dá uma visão clara sobre Ele, sobre nós. Se você pedir um encontro com Jesus, como diz o texto, nosso Pai do céu nos dará o Espírito Santo.

Eu tive esse encontro, a minha porta foi aberta e Deus me deu o Espírito Santo.

Deus é real e se procurarmos vamos achar, se buscarmos vamos encontrar.

Ao invés de murmurar, sentar na calçada e chorar, viva uma vida de amizade com Deus porque Ele é quem tem as respostas para o que você está buscando e isso preenche nosso espírito e nossa alma e deixa nosso rosto radiante.

“Então Jesus disse aos seus discípulos: — Imaginem que um de vocês vá à casa de um amigo, à meia-noite, e lhe diga: “Amigo, me empreste três pães. É que um amigo meu acaba de chegar de viagem, e eu não tenho nada para lhe oferecer.” — E imaginem que o amigo responda lá de dentro: “Não me amole! A porta já está trancada, e eu e os meus filhos estamos deitados. Não posso me levantar para lhe dar os pães.” Jesus disse: — Eu afirmo a vocês que pode ser que ele não se levante porque é amigo dele, mas certamente se levantará por causa da insistência dele e lhe dará tudo o que ele precisar. Por isso eu digo: peçam e vocês receberão; procurem e vocês acharão; batam, e a porta será aberta para vocês. Porque todos aqueles que pedem recebem; aqueles que procuram acham; e a porta será aberta para quem bate. Por acaso algum de vocês será capaz de dar uma cobra ao seu filho, quando ele pede um peixe? Ou, se o filho pedir um ovo, vai lhe dar um escorpião? Vocês, mesmo sendo maus, sabem dar coisas boas aos seus filhos. Quanto mais o Pai, que está no céu, dará o Espírito Santo aos que lhe pedirem!”
‭‭Lucas‬ ‭11:5-13‬ ‭NTLH‬‬

Lições do COVID 4: O Milagre

Todos os dias acordo 6 da manhã, normalmente desperto antes, mas meu relógio toca às 6h. Não me lembro se foi domingo ou segunda, acordei como de costume, fiz meu café e sentei na mesa para meu tempo com o SENHOR. Normalmente a primeira coisa que faço é ler a Palavra, busco em minhas anotações qual foi o último capítulo do livro que estava lendo e sigo em frente, nesse momento estou lendo Jeremias e Marcos, mas nessa manhã comecei diferente, fui impelida a orar primeiramente por meu marido. Costumo escrever algumas orações e a oração em questão foi a seguinte:

“Pai, neste lugar é que movo minha casa da areia pra rocha. Me encontra, me dá perspectiva, só o Senhor é Deus. Em ti temos abundância de vida e eu chamo a existência essa vida abundante para o Anselmo. O Senhor é Deus criador, o Senhor é dono do ar e eu peço o teu sopro de vida sobre ele nesse momento. Que os pulmões voltem a vida. Confio em ti, no teu amor e na tua proteção. Coloca teus anjos guardiões ao redor dele, enche aquele quarto com o teu ar, com a tua vida. Confio em ti, meu Porto Seguro.

Obrigada pela vida do meu marido, porque ele é em muitos aspectos a demonstração do Senhor pra mim aqui na terra. Eu te amo Senhor e amo ver o Senhor através da vida dele. Protege, salva e cura por amor do teu nome. Em nome de Jesus. Amém!”

Em seguida fiz tudo o que costumo fazer, inclusive meus exercícios físicos. Decidi não tomar banho logo depois, coisa que também está na rotina (sim, amo uma rotina) e desci para meu ateliê. Comecei a esboçar algumas coisas, mais uma vez orei quando de repente toca meu telefone, era do hospital avisando que o Anselmo tinha piorado e corria o risco de ir pra UTI. O restante desse dia conto no post “Lições do COVID 3”. Ok, essa foi a minha parte da história no dia do milagre.

Nesse mesmo dia, mais tarde o Anselmo me escreveu: “Jesus veio aqui essa noite”, mais do que depressa perguntei, “o que ele te disse”, sem forças para responder o que tinha acontecido, falou: “depois te conto”. Perguntei insistentemente nos dias seguintes e a resposta era sempre “te conto pessoalmente” e isso nem era de todo ruim porque significava que o prognóstico tinha melhorado e ele voltaria para casa. Os dias passaram e na quinta-feira, feriado de Corpus Christ, ele me contou resumidamente o que tinha acontecido. Os detalhes vou deixar pra ele contar, quero fazer um video porque é muito incrível encontrar Jesus.

A história foi a seguinte, diálogos de WhatsApp:

Eu: Saudades

Anselmo: Mor, está passando. Foi muito, mas muito difícil.

Anselmo: De domingo para segunda Jesus veio no quarto e me ressuscitou.

Eu: 😳 “Acho que era eu orando” (pareci Pedro quando não sabia o que falar no monte da transfiguração e falou qualquer coisa)

Anselmo: Me pegou nos braços. Colocou oxigênio

Eu: Que horrível por um lado, mas que maravilhoso por outro

Anselmo: Em meu último suspiro eu clamei. SOCORRO PAI QUERIDO

Eu: 😭

Anselmo: Eu não consigo. Ele me deu toda a estratégia a partir de então.

Eu: Mor, tem tanta gente clamando pela sua vida! É um exército. Não tenho dúvidas que você foi sustentado pelo clamor, Deus apareceu.

Anselmo: A médica de plantão disse que eles estavam me esperando na UTI

Anselmo: Foi horrível. Vi a morte, mas olhei para a luz que eu via e que me chamava.

Anselmo: Tinha uma caixa com todas as “m” que eu já fiz. E uma caixa azul de onde Jesus tirava as boas. Por último ele se levantou e disse que ele bastava.

Anselmo: Em meu coração testifiquei isso.

Anselmo: Bom, não acabou ainda, mas a Ele toda honra.

Anselmo: Eu amo Jesus!

Anselmo: Quando o sopro de vida se foi da minha vida, ele trouxe de volta.

Anselmo: Não tinha mais forças para nada amor.

Em um dia comum, Deus fez um milagre e foi o maior deles. Meu marido saiu da morte para a vida e melhor do que isso, duas caixas foram apresentadas, uma do acusador e outra que Jesus carregava com tudo o que era bom e com a fala de que Ele bastava. Jesus decidiu ficar com a caixa de coisas boas.

Concluo dizendo que uma vez que escolhemos Jesus, ele escolhe o que há de melhor em nós e descarta o que é pior, não precisamos mais carregar a caixa do acusador. Jesus nos basta, ele não é só a vida no espírito, mas também no corpo como ficou claro nesse lindo testemunho.

Desgraçada ou Agraciada?

Pesado o título né? Mas quantas vezes nos sentimos uns desgraçados? Ou seja, sem graça alguma.

Estou vivendo um ano extremamente turbulento, muitas vezes me pego respondendo que está tudo bem para amigos realmente interessados, amigos mais chegados que irmão, quando na verdade a vida está um caos, apenas porque não quero que olhem pra mim e digam no seu íntimo: “essa é uma desgraçada, só acontece calamidade na vida”.

Mas hoje pela manhã em meio a mais um caos que nos ronda pensei: “desgraçada ou agraciada?”, lembrei da passagem de Tiago que diz: “Meus irmãos, a vida de vocês está cheia de dificuldades e de provações? Então, considerem isto motivo de grande alegria, porque, quando a sua fé é provada, a perseverança de vocês tem uma oportunidade de crescer. Portanto, deixem a perseverança crescer, agindo plenamente em vocês. Porque, quando a perseverança de vocês estiver afinal plenamente crescida, vocês estarão preparados para qualquer coisa, e serão fortes de caráter, íntegros, sem que lhes falte coisa alguma.” Tiago 1:2-4 NBV-P

Cheguei a conclusão de que o fato de passar por várias tribulações na verdade é graça e não desgraça, é oportunidade. No meio do caos temos a oportunidade de exercer a fé e a esperança que nos leva a perseverança. Quando nos colocamos debaixo da forte mão de Deus, com confiança, o resultado é um caráter forte, integridade, sabedoria, crescimento espiritual.

Temos medo, um gelo na barriga? Sim!!! Afinal estamos sendo espremidos, forjados, lapidados. Um filho pequeno se arrisca quando o pai fala “pode vir”, mas mesmo com medo se joga. É isso, vai mesmo com medo porque sabemos quem está nos segurando com a mão.

Só tem oportunidade de exercer fé quem passa por situações que exigem isso, então sinta-se um agraciado. Além disso, só aproveita a oportunidade e exerce fé na tribulação quem tem a convicção de que Deus é soberano sobre todas as coisas, quem o conhece, quem declara que em Jesus somos mais que vencedores porque ele mesmo venceu a morte. Não importa o desfecho de cada história, já somos vencedores em Cristo.

Finalizo dizendo que tem muitas coisas que nos fogem do controle e nessa hora é que podemos ver o agir de Deus em nós e o que podemos fazer? Paulo nos diz:

“Não se aflijam com nada; em vez disso, orem a respeito de tudo; contem a Deus as necessidades de vocês, e não se esqueçam de agradecer-lhe. Se fizerem isto, vocês experimentarão que a paz de Deus, que excede todo o entendimento, conservará a mente e o coração de vocês em Cristo Jesus.”

Filipenses 4:6-7 NBV-P

É um desafio porque temos a tendência de querer controlar tudo, mas para que tenhamos um equilíbrio emocional precisamos colocar TUDO diante de Deus, todas as aflições e em troca ele nos dará uma paz que excede nosso entendimento e uma mente e coração saudáveis.

Viva o processo segurando na poderosa mão de Deus. Aproveite a oportunidade e cresça!

Não tem atalho

“Eu quero que vocês me amem e não que me ofereçam sacrifícios; em vez de me trazer ofertas queimadas, eu prefiro que o meu povo me obedeça.” Oseias 6:6 NTLH

Já percebeu que temos a tendência de fazer o que é mais fácil? Usar atalhos, propor caminhos mais curtos. Não poucas vezes nos esquecemos do processo ou reclamamos ao ter que passar por ele. Estamos sempre em busca do que é mais fácil, sabemos o que devemos fazer e mesmo assim buscamos fórmulas que facilitem e não exija tanto esforço e tempo. Na vida com Deus não é diferente.

O caminho para Deus é descrito claramente desde a antiguidade, sendo dividido apenas entre antes e depois de Cristo.

Na primeira fase, como diz o texto de Oseias, o povo demonstrava seu amor por Deus através da obediência à lei descrita desde a época de Moisés. Cumprir o que Deus planejou demonstrava o amor do povo por Deus e isso os aproximava, enquanto que a cada desobediência Deus se afastava e o povo se lascava!

Na segunda fase, essa que vivemos agora, nos aproximamos de Deus tendo fé que Jesus, seu filho foi enviado, morreu e ressuscitou para fazer um caminho entre nós e Deus, isso nos torna povo, filhos de Deus e como povo de Deus agradamos à Ele também obedecendo seus mandamentos, a diferença é que só conseguimos fazer isso se estamos unidos com Cristo, assim como diz essa passagem da primeira carta de João:

“Porém, se obedecemos aos ensinamentos de Deus, sabemos que amamos a Deus de todo o nosso coração. É assim que podemos ter certeza de que estamos vivendo unidos com Deus: Quem diz que vive unido com Deus deve viver como Jesus Cristo viveu.” 1João 2:5-6 NTLH

Assim como no velho testamento, Deus não espera de nós sacrifícios, que significa esforço. Então, hoje o sacrifício não é matar um animal, mas tentar nos esforçar com boas ações para ver se isso nos aproxima de Deus. O esforço um dia cansa e também não dá certo porque o parâmetro de bom ou ruim é nosso e isso não faz um caminho até Deus, apenas nos coloca bem conosco mesmo. Pensamos que boas ações nos torna aceitáveis, mas o que nos torna aceitáveis é viver unidos com Cristo e assim conhecer a Deus e fazer a sua vontade. Viver como Jesus viveu!

Não use atalhos, fortaleça sua fé, invista no seu relacionamento com Deus através de Jesus, cultivando o Espírito Santo que vive naqueles que receberam Jesus como único salvador. O tempo foi Deus que nos deu e se dentro do que ele mesmo nos deu não reservamos uma porção pra ele, então não podemos dizer que o amamos. Estar unido com Cristo, conhecer-lo através da sua Palavra (Bíblia), ter uma perspectiva e consequentemente comportamentos condizentes com os valores do Reino é que nos fará mais perto de Deus. Não tem atalho!

PONTO ZERO by Pedro B Santana

E se hoje fosse o ponto zero da sua vida, o que você faria? Essa pergunta não sai da minha cabeça, eu não paro de refletir nela. Se hoje você pudesse nascer de novo, deixando para trás todas as coisas e avançando para um novo alvo o que você faria?, em Filipenses 3:13-14 fala:13 Irmãos, não penso que eu mesmo já o tenha alcançado, mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante, 14 prossigo para o alvo, a fim de ganhar o prêmio do chamado celestial de Deus em Cristo Jesus.

Para tudo e olhe a sua volta: como tem sido a sua vida? É essa a vida que você sempre sonhou e sempre buscou? A verdade é que se os nossos olhos não estiverem fixos em Jesus nossas vidas não será da forma como sempre sonhamos, mas porque? Porque não estaremos vivendo aquilo que nascemos para fazer, que primeiramente é adorar e o louvar o nome de Jesus Cristo, segundo porque Deus tem planos perfeitos para a nossa vida e melhor do que ninguém até de nós mesmos Ele sabe o que é bom e perfeito para nós. Agora para tudo novamente e coloque o seu coração diante de Deus por alguns instantes e pense nessas minhas perguntas.

Eu tenho gastado um tempo em cima disso e te respondo: Essa não tem sido a vida que eu sempre sonhei e sempre busquei, não tem a ver com os bens materiais e com as grandes conquistas, tem a ver que eu entendi que Jesus precisa ser o centro da minha vida e os meus olhos precisam estar fixos nEle, por isso eu voltei meu coração para Cristo e fixei meus olhos ainda mais nEle para que daí eu possa viver a boa e agradável vontade de Deus, meu alvo é Cristo e todas as outras coisas me serão acrescentadas. Quero encorajar você hoje a fixar seus olhos em Cristo, abandonar tudo aquilo que você entende como certo e errado e se render ao temor de Deus na sua vida, vivendo assim da forma como Deus sempre sonhou para você, mas eu te digo seja forte e corajoso e não desista na primeira dificuldade, mas coloque ela diante de Cristo.

Faça hoje o seu ponto zero e fixe os seus olhos em Cristo Jesus

Não é conto da carochinha

O que você comemora no Natal? Embora nessa época, com toda família nos reunimos ao redor da mesa, a celebração não é da família, não tem a ver com a busca da paz mundial, nem tão pouco com o Papai Noel.

O Natal está relacionado ao nascimento do Redentor, do Salvador de nossas vidas. Parece conto da carochinha o fato do Deus do Universo ter enviado um filho, através de uma virgem para viver entre nós e demonstrar como seria a vida daqueles que são povo/filhos de Deus. Esse filho nasceu numa manjedoura, numa estrebaria, cresceu como filho de Maria e de um carpinteiro chamado José, foi amado e odiado pelos homens. Os mesmos que viram os sinais do Reino de Deus através suas mãos foram os que gritaram “mate-o, mate-o” e sem piedade enviaram para morte de cruz aquele que trouxe redenção ao mundo.

Jesus, o nascido em Belém, presenteado por magos, crescido entre os mestres judeus, se tornou um mestre que demonstrava o que significava ser filho de Deus com compaixão, cura de todos os tipos de doenças, libertação de pessoas endemoniadas, multiplicação de alimento, domínio sobre a natureza que prometia matar ele e seus discípulos afogados, ressuscitou alguns sendo um deles depois de 4 dias. Essa mesma pessoa foi acusada de ser contra Deus e enviado a morte de cruz. Apanhou na cara, foi açoitado, ridicularizado, carregou uma cruz a qual foi pregado e pendurado. Na cruz, desceu até o inferno tamanho era o peso do pecado da humanidade, porém como ele mesmo não tinha nada que o condenasse venceu a morte. Ressuscitou no terceiro dia, se encontrou com homens e mulheres que eram seus amigos e discípulos, orientou e prometeu uma parte de si, o Espírito Santo!

Bom, é sobre isso o Natal, com certeza essa não foi a data exata que Jesus, o Redentor nasceu mas é a data escolhida para comemorarmos e faço isso com muita paixão, minha data favorita. Eu canto músicas que me lembrem da data, leio passagens Bíblicas que me contam como foi esse nascimento.

Celebro a vida porque em Jesus, eu que não era povo de Deus me tornei filha amada.

O seu sangue me comprou, com amor me libertou!

É sobre Jesus. Feliz Natal! Nasceu o Redentor.

Leitura Sugerida: Evangelhos Mateus, Marcos, Lucas e João.

Filhos de Deus, será?

Eu gosto tanto do Evangelho de João quanto das cartas de João porque não ficam dúvidas sobre quem Jesus de fato é. Quando você ler perceberá que Jesus é mencionado desde o começo como o MESSIAS, o filho de Deus.

E é tão importante saber quem Jesus é porque esse é o centro do Evangelho.

Jesus não é apenas um exemplo de ser humano, um exemplo a seguir, um parâmetro ideal de vida. Hoje em dia muito ouvimos falar de Deus, mas qual a nossa relação com Deus Pai se não for por Jesus? Nenhuma!

Jesus diz: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida, ninguém vem ao Pai senão por mim” (João 14:6)

O papel de Jesus no mundo foi muito maior do que um exemplo de conduta, ele é o Filho de Deus que levou o pecado do mundo sobre seus ombros, conheceu a morte, mas como não tinha pecado nele mesmo a morte não o deteve.

João no começo seu evangelho diz que Jesus a princípio veio para seu povo, os judeus, mas esses não o receberam, porém alguns o receberam e creram e a estes ele deu o direito de se tornarem filhos de Deus.

Jesus é aquele que tornou a filiação possível, fora de Jesus não somos filhos de Deus. Crer que Jesus é o filho de Deus, que ressuscitou da morte, que está assentado a direita do Pai e que um dia voltará para nos buscar nos dá o direito de sermos chamados filhos de Deus.

Não basta ser humano para ser chamado de filho de Deus, precisamos RECEBER e CRER em Jesus (João 1:11-12).

Praticar boas obras, fazer caridade, pagar as contas em dia, “amar” não é suficiente para termos esse relacionamento com o Pai, porque não depende de nós e do nosso esforço (João 3:18). Nossa filiação vem por meio dá fé em Jesus, ele é o único caminho.

“E este é o testemunho: Deus nos deu a vida eterna, e essa vida é nossa por meio do seu Filho. Quem tem o Filho tem a vida; quem não tem o Filho de Deus não tem a vida.”

1João 5:11-12 NTLH

Como você acredita que pode ser aceito por Deus? Através do seu próprio esforço, das suas boas obras?

“Todos aqueles que creem que Jesus é o Messias são filhos de Deus. E quem ama um pai ama também os filhos desse pai.”

1João 5:1 NTLH

“Então Jesus afirmou: — Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá;”

João 11:25 NTLH

Oro para que O Espírito Santo de Deus traga revelação sobre a verdade de que apenas somos filhos através de Jesus, a Palavra que se fez carne, habitou entre nós, morreu e ressuscitou no terceiro dia para que tivéssemos vida novamente.

Deus te abeçoe.

Efeito Cascata

“Jesus chamou os seus 12 discípulos e lhes deu autoridade para expulsar espíritos maus e curar todas as enfermidades e doenças raras“ Mateus 10:1

É interessante que esse versículo de Mateus 10 nos da uma informação importante, até então quem curava e libertava as pessoas dos espíritos maus era apenas Jesus. Era tão surreal o que ele fazia que até os líderes religiosos achavam que aquilo não vinha de Deus, veja Mateus 9: 34.

Antes de Jesus, as interferências de milagres seja em qual esfera fosse era realizada de cima para baixo, ou seja, ficava claro que era o SENHOR dos exércitos que fazia.

Quando Jesus começou seu ministério, os grandes feitos começaram a serem feitos através dele, um homem que vivia sua vida para fazer a vontade do Pai.

Nesse ponto do Evangelho vemos Jesus dando autoridade para seus discípulos realizarem as obras que somente Jesus, até então, estava realizando. Você não acha isso incrível? Mas vou te dizer que fica ainda mais incrível. Vou te mostrar que não apenas Jesus ou o seus 12 discípulos receberam autoridade para curar e libertar. Vemos que a partir desse momento houve um efeito cascata.

Quando Jesus morreu e ressuscitou no terceiro dia ele apareceu para os discípulos e deu a seguinte orientação.

“Por último Jesus apareceu aos onze discípulos enquanto eles estavam à mesa, comendo. Ele os repreendeu por não terem fé e por teimarem em não acreditar no que haviam contado os que o tinham visto ressuscitado. Então ele disse: — Vão pelo mundo inteiro e anunciem o evangelho a todas as pessoas. Quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer será condenado. Aos que crerem será dado o poder de fazer estes milagres: expulsar demônios pelo poder do meu nome e falar novas línguas; se pegarem em cobras ou beberem algum veneno, não sofrerão nenhum mal; e, quando puserem as mãos sobre os doentes, estes ficarão curados.” Marcos 16:14-18 NTLH

Ou seja, através da sua morte e ressurreição houve uma abertura dos céus para aqueles que creem que Jesus é o Filho de Deus e que morreu e ressuscitou, essas pessoas recebem o Espírito Santo e por isso tem autoridade para fazer todas essas coisas descritas em Marcos 16.

Acho incrível como Deus não faz nada aleatório, antes de Jesus, Deus Pai realizava os milagres, quando Jesus veio ao mundo Deus pai deu a ele o Ministério para realizar suas obras e demonstrar seu reino através disso, depois da morte e ressurreição de Jesus, ele envia seu espírito para que com ele realizemos obras ainda maiores e assim seu reino seja expandido até que chegue o dia em que Jesus volte e nos leve para morar com ele.

Conseguiu visualizar? Você e eu que temos o Espírito Santo “somos” Jesus e podemos e devemos trabalhar na expansão do seu reino. Que Jesus seja visto a medida que você avança, seja pregando Evangelho, curando doentes ou expulsando demônios.

“mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judeia e Samaria e até aos confins da terra.” Atos 1:8 ARA