A chave para entrar no Reino de Deus – Lucas 15

Antes de tudo, se você tem um Bíblia, leia Lucas 15 ou vá até o final desse texto e leia a transcrição da passagem.

Existe uma palavra chave para entrarmos no Reinos de Deus que é ARREPENDIMENTO, a consciência de que não merecemos. Esse capítulo do livro de Lucas fala essencialmente disso.

Na parábola da ovelha perdida Jesus compara a ovelha ao pecador que se arrepende e diz que essa pessoa arrependida tem mais valor do que as 99 que são “boas” e não precisam se arrepender.

Na parábola da moeda perdida acontece a mesma coisa, essa moeda encontrada é comparada a um pecador que se arrepende e diz que os anjos se alegrarão por essa pessoa.

Por fim a parábola do filho pródigo usa o exemplo de pessoas para descrever as outras duas. O texto fala no versículo 18 que esse filho tem consciência de que não merece ser chamado de filho, diz que ele caiu em si.

Nosso arrependimento nos leva de volta a casa do Pai. Não são nossas ações ou o quanto nos julgamos bons que nos levará a uma vida com Deus Pai, o ARREPENDIMENTO primeiramente da rebeldia, da independência e autossuficiência e o reconhecimento de que através de Jesus, seu filho, que levou sobre si o pecado do mundo e ressuscitou no terceiro dia nos dará esse acesso. Aí então, recebemos o Espírito Santo que nos capacita a viver uma vida que agrada a Deus.

Nas 3 parábolas Deus vai ao encontro do arrependido e festeja sua volta para casa, de onde nunca deveríamos ter saído.

__________________________________________________________________________

“Então Jesus contou esta parábola: — Se algum de vocês tem cem ovelhas e perde uma, por acaso não vai procurá-la? Assim, deixa no campo as outras noventa e nove e vai procurar a ovelha perdida até achá-la. Quando a encontra, fica muito contente e volta com ela nos ombros. Chegando à sua casa, chama os amigos e vizinhos e diz: “Alegrem-se comigo porque achei a minha ovelha perdida.” — Pois eu lhes digo que assim também vai haver mais alegria no céu por um pecador que se arrepende dos seus pecados do que por noventa e nove pessoas boas que não precisam se arrepender. Jesus continuou: — Se uma mulher que tem dez moedas de prata perder uma, vai procurá-la, não é? Ela acende uma lamparina, varre a casa e procura com muito cuidado até achá-la. E, quando a encontra, convida as amigas e vizinhas e diz: “Alegrem-se comigo porque achei a minha moeda perdida.” — Pois eu digo a vocês que assim também os anjos de Deus se alegrarão por causa de um pecador que se arrepende dos seus pecados. E Jesus disse ainda: — Um homem tinha dois filhos. Certo dia o mais moço disse ao pai: “Pai, quero que o senhor me dê agora a minha parte da herança.” — E o pai repartiu os bens entre os dois. Poucos dias depois, o filho mais moço ajuntou tudo o que era seu e partiu para um país que ficava muito longe. Ali viveu uma vida cheia de pecado e desperdiçou tudo o que tinha. — O rapaz já havia gastado tudo, quando houve uma grande fome naquele país, e ele começou a passar necessidade. Então procurou um dos moradores daquela terra e pediu ajuda. Este o mandou para a sua fazenda a fim de tratar dos porcos. Ali, com fome, ele tinha vontade de comer o que os porcos comiam, mas ninguém lhe dava nada. Caindo em si, ele pensou: “Quantos trabalhadores do meu pai têm comida de sobra, e eu estou aqui morrendo de fome! Vou voltar para a casa do meu pai e dizer: ‘Pai, pequei contra Deus e contra o senhor e não mereço mais ser chamado de seu filho. Me aceite como um dos seus trabalhadores.’ ” Então saiu dali e voltou para a casa do pai. — Quando o rapaz ainda estava longe de casa, o pai o avistou. E, com muita pena do filho, correu, e o abraçou, e beijou. E o filho disse: “Pai, pequei contra Deus e contra o senhor e não mereço mais ser chamado de seu filho!” — Mas o pai ordenou aos empregados: “Depressa! Tragam a melhor roupa e vistam nele. Ponham um anel no dedo dele e sandálias nos seus pés. Também tragam e matem o bezerro gordo. Vamos começar a festejar porque este meu filho estava morto e viveu de novo; estava perdido e foi achado.” — E começaram a festa. — Enquanto isso, o filho mais velho estava no campo. Quando ele voltou e chegou perto da casa, ouviu a música e o barulho da dança. Então chamou um empregado e perguntou: “O que é que está acontecendo?” — O empregado respondeu: “O seu irmão voltou para casa vivo e com saúde. Por isso o seu pai mandou matar o bezerro gordo.” — O filho mais velho ficou zangado e não quis entrar. Então o pai veio para fora e insistiu com ele para que entrasse. Mas ele respondeu: “Faz tantos anos que trabalho como um escravo para o senhor e nunca desobedeci a uma ordem sua. Mesmo assim o senhor nunca me deu nem ao menos um cabrito para eu fazer uma festa com os meus amigos. Porém esse seu filho desperdiçou tudo o que era do senhor, gastando dinheiro com prostitutas. E agora ele volta, e o senhor manda matar o bezerro gordo!” — Então o pai respondeu: “Meu filho, você está sempre comigo, e tudo o que é meu é seu. Mas era preciso fazer esta festa para mostrar a nossa alegria. Pois este seu irmão estava morto e viveu de novo; estava perdido e foi achado.””
‭‭Lucas‬ ‭15:3-32‬ ‭NTLH‬‬

Lucas 6:26a (A Mensagem)

Tenho pensado em dois temas específicos: IDENTIDADE e ENCONTROS COM JESUS. Agora vou falar sobre o primeiro e em outra oportunidade sobre o segundo.

De acordo com a Bíblia, fomos feitos a imagem e semelhança de Deus, mas num determinado momento fomos corrompidos pelo PECADO, ou seja, o que era perfeitamente formado ficou deformado. Pensa num computador, quando compramos ele está perfeito, funcionando como esperamos que o faça, mas se por um acaso o sistema é afetado por um vírus, o que acontece? O computador fica corrompido e começa a fazer coisas que quando você comprou não esperava, como por exemplo, expor seus dados (Não entendo muito de sistemas, mas sei que o estrago pode ser grande com um vírus rsrsrs). Aí você chama um técnico e ele restaura seu computador e ele volta a funcionar como você espera e gostaria. Isso o livra de pegar novos vírus? Mesmo estando com um antivírus, o risco de corromper ainda existe, certo?

Sobre identidade, o computador deixou de ser computador porque pegou um vírus? O seu propósito foi mudado por conta disso, alguém conhece o computador pelos sintomas virais? NÃO.

Pois é, nossa identidade é mais ou menos isso. Quando Deus nos criou, éramos perfeitos, nos relacionávamos perfeitamente, tudo funcionava bem, até que o vírus (pecado) entrou e estragou, mas deixamos de ser a imagem e semelhança de Deus? Perdemos a nossa origem? Não, mas assim como um computador precisou de um técnico, nós precisamos de Jesus para reencontrar o propósito ao qual fomos criados. Aqueles que receberam Jesus e seu Espírito foram restaurados e os estragos causados pelo pecado foram resetados, não precisamos mais agir como se nosso sistema estivesse afetado, porque somos regidos pelo sistema perfeito e o Santo Espírito (anti vírus) nos capacita a uma vida com um “funcionamento perfeito”.

Jesus fala assim em Lucas 6: 26: “Coitados de vocês que dependem da aprovação dos outros, sempre preocupados em agradar a todos. Essa escravidão compromete a sinceridade”, entre os versículos 35-36 ele fala  “assumam sua identidade, criada por Deus. Procurem imitá-lo”.

É simples, se Jesus é aquele que estava no princípio e se através dele tudo se fez e como disse, a Bíblia fala que fomos feitos a imagem e semelhança deles (trindade), podemos imitar o Deus que se fez homem e habitou entre nós. Temos uma referência.

Nossa identidade está em Jesus, não precisamos nos comportar como a sociedade dita que façamos, nem precisamos ficar escravos de nosso passado e de nossas vergonhas. Porque agora, aqueles que estão em Cristo vestem roupas novas e são novas criaturas. Somos aceitos, somos amados, somos filhos e filhas que podem se relacionar com o Deus Eterno.

Tipo isso!!!!!!!!

Lucas 3

Enquanto estudava o evangelho de Lucas, o capítulo 3 me trouxe alguns pensamentos. O texto referido fala sobre o batismo de João e em seguida de Jesus.

Percebi que desde o princípio, os problemas são os mesmos e quero citar 3 ditos explicitamente no texto. João fala sobre um batismo de arrependimento (metanóia, mudança de mente e direção), mas aí ele identificou que as pessoas vinham, porém não mudavam de vida, depois de falar que não adianta nada “molhar a pele com a água” se as atitudes não mudam, a multidão perguntou “o que devemos fazer então?”. Como disse, João cita 3 posturas que devem ser evitadas:
1. Individualismo: “Quem tiver duas mudas de roupas dê uma para alguém, ele disse, e façam o mesmo com a comida”. Problema atual: individualismo, egoísmo, sucesso próprio. Proposto pelo reino: generosidade
2. Corrupção: Os cobradores de impostos também perguntaram o que deveriam fazer e João disse “Nada de extorsão. Cobrem apenas o que exige a lei”. Problema atual: desonestidade, corrupção, vantagem. Proposto pelo Reino: Honestidade, verdade
3. Violência: Os soldados também perguntaram e ele respondeu “Nada de violência nem chantagens, e estejam satisfeitos com o salário de vocês”. Problema atual: violência, desconfiança, insatisfação. Proposto pelo Reino: alegria, satisfação, contentamento.

Embora o batismo de João tivesse a ver com uma mudança de fora para dentro, o texto nos diz: “O protagonista desse drama, perante o qual sou apenas um figurante, acenderá a vida do Reino em vocês, um fogo interior, o Espírito Santo dentro de vocês, operando mudança de dentro para fora”.

A nova aliança nos dá o Espírito e se não temos nos arrependido (mudança de mente e ação), devemos nos questionar se realmente encontramos Jesus e seu Reino, pois ele necessariamente gera mudança na nossa vida, caráter, direção.

Espero que colabore com seu crescimento espiritual. O texto está em Lucas 3, na versão A Mensagem.